O uso da mamadeira até os 2 anos de idade.

Estava lendo uma matéria da Crescer, sobre o uso da mamadeira, onde um estudo comprova que o uso prolongado da mamaneira, aumenta o risco de obesidade nas crianças.

A idade ideal para que a criança pare de usar a mamadeira, seria aos 2 anos de idade (segundo a matéria) e então a transição de largar a mamadeira seria feita por um copo com bico rígido.

Mais sobre a matéria:

Se o seu filho já tem mais de 2 anos e ainda usa mamadeira, atenção! Um estudo realizado pelas Universidades de Temple e Ohio, ambas dos Estados Unidos, revelou que seu uso prolongado eleva o risco de problemas de peso. A análise, feita com 6.750 crianças, mostrou que a prevalência de obesidade nas que tomavam mamadeira aos 2 anos era de 23% aos 5. Já nas que não tomavam, era de 16% na mesma idade.

Em entrevista à CRESCER, Rubens Feferbaum, pediatra e nutrólogo do Hospital Infantil Sabará (SP), explica que o problema não está apenas no conteúdo (como leite e sucos), mas na forma como ele é absorvido pelo organismo. Na mamadeira, é ingerido passivamente, o que não ocorre se for no copo. Sem contar que nessa idade, a criança já tem um ganho calórico por outras fontes de alimentos, o que pode fazer com que a mamadeira, oferecida fora de hora, seja um extra no seu acúmulo de calorias diárias. Confira entrevista completa.

CRESCER – Por que uma criança que toma mamadeira aos 2 anos tem risco de ser obesa mais tarde?
RUBENS FEFERBAUM –
O grande problema é o uso inadequado da mamadeira após os 2 anos (ou mesmo antes dessa idade), que faz com que a criança tenha uma ingestão acentuada pela maneira passiva como o líquido é absorvido. Assim, ela tem dificuldade de sentir saciedade da fome. Dessa maneira, dormir com a mamadeira ou oferecê-la de forma frequente à criança para acalmá-la é um erro alimentar e pode levar à obesidade. Como em geral o que os pais dão na mamadeira é leite e sucos, alimentos ricos em proteína e/ou caloria, ela excede as necessidades energéticas diárias, que se acumulam no organismo como gordura.
C. – No Brasil, é costume os pais estenderem tanto o período do uso da mamadeira?
R.F. –
Não temos uma estatística a respeito disso, mas observamos, na prática clínica, que frequentemente ultrapassa os dois anos. No entanto, a transição da mamadeira para o copo é uma preocupação dos pediatras. Sempre que me deparo com uma criança com sobrepeso ou obesidade, mesmo lactente, verifico esse aspecto da administração de alimentos na forma líquida.

C. – Como prevenir a obesidade nas crianças?
R.F. –
É fundamental lembrar que a amamentação exclusiva deve acontecer até o 6o mês de vida do bebê e sua manutenção junto com a alimentação complementar (papas de legumes, frutas) até os 2 anos. Lembro que as crianças amamentadas no peito por mais tempo têm mais facilidade de aceitar o copinho para tomar líquidos e costuma recusar a mamadeira. Já, quando há necessidade de a criança tomar fórmulas infantis, elas devem ser aquelas nutricionalmente balanceadas para lactentes. É importante também que a família entenda que leite e suco são alimentos e para hidratar é necessário água (líquido sem calorias).

C. – Se uma criança já tem 2 anos e ainda usa mamadeira, como mudar esse comportamento?
R.F. –
O primeiro passo é paciência. Depois, deve-se regularizar os hábitos da criança e ter uma disciplina no horário das refeições, perfeitamente possívl para uma criança de 2 anos. Depois, comprar um copo que seja atrativo ao filho. Caso ela não aceite, tente usar bicos com furos mais rígidos (tipo “bico de pato”), e continue com a adaptação ao copo, aos poucos.

C. – Além da obesidade, que outros prejuízos a criança pode ter em sua saúde pelo uso prolongado da mamadeira?
R.F. –
Cáries dentárias precoces, problemas no desenvolvimento da arcada dentária, no palato e na mandíbula. Além disso, predisposição a ter dificuldade em aceitar alimentos sólidas, o que pode levar a deficiências nutricionais.”

Fonte: Revista Crescer

Valentina tem 1 ano e 9 meses. E só mama na mamadeira para dormir…
Foi uma luta tirar as mamadeiras noturnas lembram? Confere aqui!

Com a titia Renata, aos 4 meses de idade.

Pena, dó, dor no coração de mãe que lhes fala em ter que pensar em tirar a mamadeira dela tão loguinho.
Eu usei mamadeira até os 6 anos… pasmem… claro que não deixarei ela chegar nesse ponto hahaha… mas que era boa minha mamadeirinha todo santo dia quando acordava… aaaa… isso era!

Mas farei a transição com ela sim, numa dessa ela se adapta fácil não é mesmo? Vou começar o leite no copinho aos poucos, ver se ela aceita… e farei isso bem devagar.

Agora, 1 ano de 9 meses – cara de mau humor do sono.

Oh my… adoro ela me pedindo “mamadeia” para dormir =/

About Marcelíssima 383 Articles
Nasci em Minas, criada no Paraná, já morei em outras bandas por aí, mas me achei nessa terra maravilhosa que é Rio Grande do Sul. Sou casada com o Moisés, temos uma filha linda chamada Valentina, e um gato a la Garfield, o Freddy. Gosto de livros, filmes, séries, receitas, makes, músicas... Enfim, de tudo um pouco e com a maior simplicidade!

11 Comentários

  1. Bah amiga, estamos todas nesta luta entao.

    Aqui no Canada pedem que se largue a mamadeira ja com 1 aninho de vida, e partir para o copinho de bico duro.

    A Bella toma agua e suco em copinho assim ou copo de adulto sem problema, mas mamadeira no copinho duro ela se recusa, digo, leite…nao toma!

    Rebeldia pura

    To na luta, ja comprei todos os copinhos do mercado e ela nao aceita nenhum (para o leite)

    OLha o drama

    Beijos
    Rita e Bella

  2. oi querida , adorei o seu blog!
    olha,sobre mamadeira eu nao sei nada!!!kkkkkkkkk acho que so mais tarde,hihi

    Estou te seguindo,faz uma visitinha pra gente e segue tbm? Um beijinho

  3. Sim, 1 aninho acredita?

    Me sinto uma looser ao levar ela na rua e ter que a dar a mamadeira, parece que tá todo mundo me olhando.

    Acho que para ela largar a bendita só fazendo tratamento de choque e dando somente no copo, no melhor estilo SE NÃO QUISER TOMAR NAO TOMA, para ver se ela aprende.

    Snif, mae sofreeee.

    Beijos

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*